Confederação Brasileira de Automobilismo completa 60 anos

A CBA reafirma seu compromisso de construir no presente as bases para o automobilismo do futuro, sem esquecer os esforços de tantos num passado não tão distante assim

Giovanni Guerra, presidente da CBA (Divulgação)

Fundada em 7 de setembro de 1961, A Confederação Brasileira de Automobilismo está completando 60 anos e, nesta data, dá a largada para diversas ações comemorativas ao longo dos próximos meses.

Dentre elas, merecem destaque o retorno das solenidades de premiação, lançamento de novas categorias, criação de um espaço para resgate da memória, realização de campanhas sociais e muito mais. Essas atividades se somarão às já em prática desde a posse de Giovanni Guerra como presidente da CBA, em 15 de janeiro passado.

A necessidade de evitar aglomerações impediu que a CBA promovesse um encontro para comemorar em grande estilo suas seis décadas de existência. Mas esse objetivo não foi abandonado, apenas adiado. “Se Deus quiser, assim que for possível, queremos reunir e homenagear as pessoas que tanto fizeram e fazem pelo automobilismo”, explicou Giovanni Guerra, que projeta realizar esse evento ainda em 2021, provavelmente no mês de dezembro, se as condições sanitárias do país assim permitirem.

Enquanto esse dia não chega, a verdade é que o automobilismo brasileiro não para, permanecendo firme na sua vocação de revelar talentos, desenvolver tecnologia, gerar negócios e criar milhares de empregos.

É o trilhar de um caminho árduo desde a sua fundação. Ao longo dessas seis décadas, com maior ou menor sucesso, todos os dirigentes que passaram pela CBA contribuíram para que fosse alcançado o estágio atual. Agora, o compromisso vital é preparar a entidade para o futuro, diante de tantos desafios que se apresentam.

“Por mais que a CBA tenha avançado nesse tempo todo, o automobilismo se desenvolve com maior velocidade a cada dia. É nosso desafio – diria mais, obrigação! – acompanhar essa evolução e oferecer as melhores ferramentas para que os profissionais da Confederação possam realizar esse trabalho da maneira mais eficiente possível”, comentou Guerra.

A CBA tem por objetivo fomentar e regulamentar o esporte. Isso significa dizer que cabe a ela elaborar projetos, propagá-los e reunir parceiros para a execução. A entidade não é dona de autódromos, campeonatos ou equipes. Não há recursos para isso e nem é esse o seu papel estatutário. Entretanto, essa grande roda que é o automobilismo, verdadeiro setor da economia nacional, não giraria sem a CBA. É por esse motivo que não é uma organização estática, mas dinâmica na mesma medida que o exigente automobilismo nacional.

“Trabalhamos com todas as nossas forças pelo nosso automobilismo, mas já pensando desde já naquele que será praticado por nossos filhos e netos, promovendo a criação de nova geração de esportistas e tornando o ingresso o mais acessível possível. E temos obrigação de resgatar a memória para que o trabalho de tantos não seja esquecido”, concluiu Giovanni Guerra.

Comunicação CBA

Mensagem do presidente

Caras Amigas, Caros Amigos do Automobilismo,

É com alegria que me dirijo a todos, nesse feriado de 7 de setembro, para comemorar os 60 anos de nossa Confederação Brasileira de Automobilismo, fundada nesta data, em 1961.

Quando nossa gestão foi iniciada, em 15 de janeiro deste ano, a intenção era marcar essa data com um grande encontro festivo e de homenagens. Entretanto, como todos sabem, o momento atual ainda não é propício para isso, mas se Deus quiser, assim que for possível, queremos reunir e homenagear as pessoas que tanto fizeram e fazem pelo automobilismo.

Enquanto esse dia não chega, a verdade é que o automobilismo brasileiro não para, permanecendo firme na sua vocação de revelar talentos, desenvolver tecnologia, gerar negócios e criar milhares de empregos. É o trilhar de um caminho árduo desde a sua fundação.

Ao longo dessas seis décadas, com maior ou menor sucesso, todos os dirigentes que passaram pela CBA contribuíram para que fosse alcançado o estágio atual. Agora, o compromisso vital é preparar a entidade para o futuro, diante de tantos desafios que se apresentam, tenho o passado como modelo de desenvolvimento ou alerta para mudanças.

Por mais que a CBA tenha avançado nesse tempo todo, o automobilismo se desenvolve com maior velocidade a cada dia. É nosso desafio – diria mais, obrigação! – acompanhar essa evolução e oferecer as melhores ferramentas para que os profissionais da Confederação possam realizar esse trabalho da maneira mais eficiente possível.

A CBA tem por objetivo fomentar e regulamentar o esporte. Isso significa dizer que cabe a ela elaborar projetos, propagá-los e reunir parceiros para a execução. A entidade não é dona de autódromos, campeonatos ou equipes. Não há recursos para isso e nem é esse o seu papel estatutário. Entretanto, essa grande roda que é o automobilismo, verdadeiro setor da economia nacional, não giraria sem a CBA. É por esse motivo que não é uma organização estática, mas dinâmica na mesma medida do exigente automobilismo nacional.

As atenções da CBA estão focadas no presente, mas também no futuro e sem esquecer do passado. Estamos trabalhando nesse três frentes porque acredito piamente que uma coisa está associada a outra. Nosso projeto é simples, mas de responsabilidades muito grandes. Trabalhamos com todas as nossas forças para que o automobilismo se torne potência mundial, e isso só acontece se fizermos do presente um grande sucesso. Paralelamente a isso, pensamos desde já no automobilismo que será praticado por nossos filhos e netos, promovendo a criação de nova geração de esportistas e tornando o ingresso o mais acessível possível.

Observamos avanços em todas as nossas modalidades, alguns totalmente implantados, enquanto outros estão em fase de execução. No KARTISMO, estamos realizando o Campeonato do Nordeste de Kart e prestes a realizar o primeiro Mundial de Kart no Brasil. Isso sem falar no sucesso que foi a Copa Brasil, recentemente disputada, e o Brasileiro, que acontecerá em dezembro.

No âmbito da modalidade VELOCIDADE, o país voltará a ter uma forte categoria de monopostos já em 2022, com a introdução da F4 FIA, já projetando no futuro a volta da F3 FIA. A VELOCIDADE NA TERRA está iniciando uma nova era e passa a ter um promotor exclusivo. A ARRANCADA ganhará novo certame em breve, pois está sendo criado o Campeonato Norte-Nordeste de Arrancada.

O RALLY está vivendo uma fase de grande impulso, com novas categorias, aumento de concorrentes e maior diversidade de marcas nas competições. O retorno do Nordeste ao calendário nacional do automobilismo já tem data para acontecer, já em 2021. Anote na agenda: 23 de outubro. Nesta data, o Autódromo Internacional da Paraíba completará cinco anos e o presente da CBA será uma prova nacional. Logo daremos mais detalhes.

Por fim, saúdo todas as parcerias e os esforços conjuntos que permitem o crescimento do nosso esporte, ainda que em tempos de pandemia. O momento, sim, é de comemoração, mas também de muito, muito trabalho pela frente. Com a graça de Deus, estamos iniciando hoje os próximos 60 anos e mais e mais, pois o amor pelo automobilismo é o que nos move.

Fiquem com Deus!

Giovanni Guerra
Presidente da CBA