Rali da Graciosa se confunde com a história do rali de velocidade no Brasil

Os irmãos Juliano e Rafael Sartori são bicampeões do Rali da Graciosa (Foto: Edson Castro)

Os irmãos Juliano e Rafael Sartori são bicampeões do Rali da Graciosa (Foto: Edson Castro)

O Rali da Graciosa é mais que uma simples corrida de rali de velocidade, representa uma parte importante da história do esporte no Brasil. Disputado desde 1981, é o mais antigo rali ainda na ativa no País.

Das estradas de terra, de especiais épicas como a Dom Pedro, de trechos inesquecíveis como a “curva do pinheirinho”, ao asfalto, a prova foi se moldando ao longo do tempo. Já passou por cidades como Araucária, Curitiba, Campina Grande, Morretes, Antonina, Piraquara e Quatro Barras, sempre no entorno da capital paranaense.

Em 2020, volta a Quatro Barras, percorrerá novamente a famosa especial Dom Pedro (agora toda em asfalto), em uma prova que promete ser decisiva para as pretensões de quem ainda sonha com título do Brasileiro de Rali de Velocidade. Será a quarta corrida do ano a partir desta sexta-feira (27) e até o domingo (29).

“Estamos na fase final do campeonato e preparados para a etapa do Graciosa. Estamos cientes que deveremos fazer um rali consistente, sem erros, para pontuar bem. Vai ser uma etapa 100% em asfalto, corremos lá o ano passado, é um lindo rali. Vamos fazer de tudo para trazer um bom resultado para a nossa equipe”, diz o navegador Rafael Sartori, que junto com o piloto e irmão Juliano, já venceram a prova em duas oportunidades.

“É uma prova muito difícil, diferente do que estamos acostumados a andar, mas que já andamos e conhecemos. Trata-se de uma corrida muito rápida e nossa expectativa é poder brigar pela maior quantidade de pontos possível e nos manter na disputa pelo título desta temporada”, acrescenta Ulysses Bertholdo, também vendedor de duas corridas no Graciosa.

Para Evandro Carbonera, o Graciosa é um dos ralis mais importantes do calendário nacional. “Por sua história, pela peculiaridade de ser a única corrida 100% em asfalto, um tipo de rali diferente, que precisa de diversos ajustes mecânicos como suspensão, pneus e nossa equipe tem trabalhado no pré-prova para que tudo fique pronto e possamos fazer uma boa corrida no final de semana”, enfatiza Evandro.

O gaúcho Cláudio Rossi (correrá em dupla com Eduardo Tonial) disputa o Rali da Graciosa desde os anos 90 (Foto: Edson Castro)

O gaúcho Cláudio Rossi (correrá em dupla com Eduardo Tonial) disputa o Rali da Graciosa desde os anos 90 (Foto: Edson Castro)

O gaúcho Cláudio Rossi destaca ainda as muitas mudanças que precisaram ser feitas nos carros para a corrida 100% em asfalto. “Ajustes de suspensão, novos freios, pneus, rodas, uma série de configurações que mudam em relação a provas em estradas de terra”, amplia Rossi.

A história do Graciosa

Subir ou não a famosa Serra da Graciosa, nunca impediu de a corrida levar a região da mata Atlântica no nome. Pelas estradas da região de Curitiba já competiram pilotos e navegadores de inúmeros países, incluindo Europa.

Passaram pela corrida ao longo da história, grandes campeões do Campeonato Brasileiro e Sul-Americano de Rali de Velocidade. Dos que já venceram por lá, apenas três estarão na pista no sábado e domingo: Maurício Neves/Leandro Ferrarini (dupla do Paraná), Ulysses Bertholdo, piloto gaúcho, além dos irmãos Juliano e Rafael Sartori.

O jornalista e fotógrafo Edson Castro, que acompanha o Graciosa desde 2000, destaca que o Graciosa é o tipo de prova que todo competidor quer vencer. “No Brasil se formaram ralis históricos, com mística, ambiente diferente, como é o caso do Graciosa. Tive a oportunidade de acompanhar as disputas na terra, provas a noite, largadas promocionais no centro de Curitiba, o Graciosa em suas várias formações, sempre é um show a parte, uma parte importante da história deste esporte para o Brasil e que agora se torna a única com todos os trechos especiais em asfalto”, completa o jornalista.

O Rali da Graciosa é a única prova de rali no Brasil disputada 100% no asfalto (Foto: Edson Castro)

O Rali da Graciosa é a única prova de rali no Brasil disputada 100% no asfalto (Foto: Edson Castro)

VENCEDORES DO RALLY DA GRACIOSA

2019 – Marco Malucelli/Vinicius Anziliero – Mitsubishi Lancer / Brasil

2018 – Mauricio Neves/Leandro Ferrarini – Peugeot 207 / Brasil

2017 – Michel Mueller/Luis Felipe Eckel – Peugeot 207 / Brasil

2016 – Mauricio Neves/Leandro Ferrarini – Peugeot 207 XRC / Brasil

2015 – Mauricio Neves/Leandro Ferrarini – Peugeot 207 XRC / Brasil

2014 – Rafael Tulio/Gilvan Jablonski – Peugeot 207 / Brasil

2010 – Kris Meeke/Paul Nagle – Peugeot S2000 / Inglaterra

2009 – Kris Meeke/Paul Nagle – Peugeot S2000 / Inglaterra

2008 – Édio Fuchter/Gilvan Jablonski – Mitsubishi Lancer / Brasil

2007 – Édio Fuchter/Lelo Perdigão – Mitsubishi Lancer / Brasil

2006 – Juliano Sartori/Rafael Sartori – Subaru Impreza / Brasil

2005 – Ulysses Bertholdo/Gilberto Barricatti – Mitsubishi Lancer / Brasil

2004 – Ulysses Bertholdo/Armando Miranda – Mitsubishi Lancer / Brasil

2003 – Juliano Sartori/Rafael Sartori – Mitsubishi Lancer / Brasil

2002 – Tino Viana/Edu Paula – Subaru Impreza / Brasil

2001 – Federico Villagra/Javier Villagra – Mitsubishi Lancer / Argentina

2000 – Marcos Ligatto/Ruben Garcia – Subaru Impreza / Argentina

1999 – Christian Rosiak/Hugo Thomaz – Mitsubishi Lancer / Argentina

1998 – Francisco Gorostiaga/Victor Aguilera – Lancia Delta / Paraguai

1997 – Gabriel Mendez/Carlos Villete – Toyota Celica / Uruguai

1996 – Gabriel Raies/José Volta – Toyota Celica / Argentina

1995 – Maria Dario Galanti/Ivan Dumont – Toyota Celica / Paraguai

1994 – Maria Dario Galanti/Ivan Dumont – Toyota Celica / Paraguai

1993 – Gabriel Mendez/Felipe Mercader – Gol GTI / Uruguai

1992 – Gustavo Pisano/Felipe Mercader – VW Gol GTI / Uruguai

1991 – Paulo Lemos/Ricardo Costa – VW Gol GTI / Brasil

1990 – Reinaldo Varela/Sérgio Lima – VW Gol GTI / Brasil

1989 – Édio Fuchter/Ricardo Costa – VW Gol GTI / Brasil

1988 – Édio Fuchter/Ricardo Costa – VW Gol GTI / Brasil

1987 – Paulo Lemos/Arthur Carvalho – VW Gol GI / Brasil

1985 – Claudio Antunes/Olavo Barbour – VW Passat / Brasil

1984 – Cesar Vilela/José Baranovisk – GM Monza / Brasil

1983 – Paulo Lemos/Arthur Carvalho – VW Voyage / Brasil

1982 – Sady Bordin/Dario Araujo – VW Voyage / Brasil

1981 – Jorge Fleck/Sylvio Klein – VW Gol /Brasil

Programação do Rali da Graciosa

Sexta-feira, dia 27

14h – Abertura da Secretaria de Prova

15h – Início do reconhecimento das especiais

Sábado, dia 28

13h13 – Largada da Especial Rio do Meio 1

13h51 – Largada da Especial Campininha 1

14h34 – Largada da Especial Rio do Meio 2

16h32 – Largada da Especial Rio do Meio 3

17h10 – Largada da Especial Campininha 2

Domingo, dia 29

8h13 – Largada da Especial Dom Pedro 1

9h06 – Largada da Especial Dom Pedro 2

11h09 – Largada da Especial Dom Pedro 3

13h – Premiação