Di Grassi assume a vice-liderança após chegar ao 32º pódio na categoria

Brasileiro largou em sexto e após intensas batalhas durante a prova terminou em terceiro em Tempelhoff

Ao chegar em terceiro e conquistar o 32º pódio de sua carreira no Mundial de Fórmula E, Lucas Di Grassi também saltou do oitavo lugar para a vice-liderança da classificação da temporada 2020, encerrando assim a primeira das três rodadas duplas previstas para o mês de agosto na pista do aeroporto alemão de Tempelhoff, no sul de Berlim. Di Grassi largou em sexto e, como é sua característica, veio construindo o resultado com muita calma e precisão ao longo da sétima etapa da competição, que voltará à mesma pista no próximo sábado para retomar a disputa. A vitória couber ao português António Félix da Costa, da equipe campeã DS Techeetah, que completou as 36 voltas em 46min19s412.

“Foi uma corrida bastante cansativa, especialmente na parte final, na qual tivemos briga o tempo todo pelo terceiro lugar”, resume o piloto da equipe Audi Sport Abt Schaeffler, lembrando os intensos duelos com o holandês Robin Frijns (Envision Virgin Racing), o belga Stoffel Vandoorne (Mercedes-Benz) e os britânicos Sam Bird (Envision Virgin Racing) e Oliver Rowland (Nissan E.DAMS), que terminaram a corrida nessa ordem, atrás do brasileiro. Com o resultado Di Grassi manteve o incrível índice de 49% dos pódios nas 65 provas que disputou na categoria, um recorde absoluto.

“Em certa altura achei que poderia terminar em segundo e de fato passei o Buemi, mas ele ainda tinha um modo ataque e com isso não deu para defender a posição”, completou Lucas, citando também a briga com o piloto suíço da equipe Nissan E.DAMS, segundo colocado em Tempelhoff.

A Fórmula E faz uma pausa nesta sexta-feira e, no sábado, volta para Tempelhoff para a realização da rodada dupla que será completada uma prova no dia seguinte. Dessa vez, será utilizado o traçado tradicional que costumeiramente é montado no antigo aeroporto, mas utilizando o sentido normal – ontem e hoje as corridas aconteceram no sentido inverso. “É uma pausa mas ninguém vai descansar. Nosso foco é tentar ganhar performance e nos aproximarmos dos carros da DS Techeetah, que no momento estão em outro nível. Se queremos pensar em vitória em qualquer uma das quatro provas finais, precisamos dar esse passo à frente. Tempos pouco tempo, mas vamos trabalhar os dados colhidos nesta quinta e sexta-feira e tentar avançar no desenvolvimento do carro”, conclui o brasileiro.

Resultado da sétima etapa da Fórmula E, em Berlim:

1) António Félix da Costa (Portugal, DS Techeetah), 46min19s412;

2) Sébastien Buemi (Suíça, Nissan E.DAMS), a 3s090;

3) Lucas Di Grassi (Brasil, Audi Sport Abt Schaeffler), a 8s296;

4) Robin Frijns (Holanda, Envision Virgin Racing), a 9s239;

5) Stoffel Vandoorne (Bélgica, Mercedes-Benz), a 9s695;

6) Sam Bird (Inglaterra, Envision Virgin Racing), a 10s081;

7) Oliver Rowland (Inglaterra, Nissan E.DAMS), a 13s897;

8) Edoardo Mortara (Suíça, Rokit Venturi), a 16s367;

9) André Lotterer (Alemanha, Porsche), a 16s893;

10) Jean Eric Vergne (França, DS Techeetah), a 20s919.

Classificação do campeonato após sete etapas:

1) António Félix da Costa (Portugal, DS Techeetah), 125 pontos;

2) Lucas Di Grassi (Brasil, Audi Sport Abt Schaeffler), 57;

3) Stoffel Vandoorne (Bélgica, Mercedes-Benz EQ), 57;

4) Mitch Evans (Nova Zelândia, Panasonic Jaguar), 56;

5) Sam Bird (Inglaterra, Envision Virgin Racint), 52;

6) Sébastien Buemi (Suíça, Nissan E.DAMS), 52;

7) Alexander Sims (Inglaterra, BMW Andretti), 48;

8) André Lotterer (Alemanha, Porsche), 45;

9) Maximilian Guenther (Alemanha, BMW Andretti), 44

10) Oliver Rowland (Inglaterra, Nissan E.DAMS), 36.