Porsche Cup 15 Anos – O que mudou nos carros da Cup ao longo do tempo?

Porsche Cup 15 Anos – O que mudou nos carros da Cup ao longo do tempo?

Acelerando no Brasil desde 2005 a Porsche Cup completa este ano seu 15º aniversário em pistas nacionais. Em todos esses anos, diversos modelos de Porsche passaram pelas pistas do grid. Na matéria especial de 15 anos da Porsche Cup Brasil traremos as diferenças entre o primeiro carro que competiu por aqui: o 996. E o atual modelo que disputa o campeonato: o 911.2

Enzo Morrone, ex-piloto e atual chefe de engenharia da Porsche Cup comparou o início da categoria com o atual momento vivido pelos carros de competição mais produzidos no planeta.

O primeiro ponto e mais marcante para qualquer fã do automobilismo é a diferença de tempo entre eles. Considerando marcas na pista de Interlagos, a primeira pole position da história da categoria foi marcada pelo piloto Totó Porto, ele completou a volta em 1:43.185.

Já Miguel Paludo, último pole em Interlagos na abertura da temporada de 2020 fez a volta que garantiu o P1 em 1:34.913, impressionantes 8.272 segundos mais rápidos que a primeira pole position da Cup.

As diferenças não param por aí. Em questão de montagem e manutenção dos carros antes era adotado um sistema onde se colocava o carro em uma baia e era feito todo um processo de check-list do carro por uma mesma equipe responsável pela baia. A partir de 2012 foi adotado um sistema parecido com o Fordismo, onde cada funcionário é especializado em uma parte do processo de montagem e manutenção do carro. Deixa o processo mais ágil e preciso.

Falando sobre os carros: no começo eles variavam entre 360 e 380cv já o modelo atual da categoria conta com 100cv a mais, totalizando 480cv. Uma diferença significativa em questão de desempenho. Antigamente os carros da Cup eram com transmissão manual, hoje substituídos pelos câmbios borboleta, como na maioria dos carros de corrida mundo afora.

Uma semelhança entre eles que vale ser notada é o uso do freio ABS, os 996 tinham a tecnologia, hoje apenas os carros da Carrera Cup 4.0 contam com o sistema de freios ABS. Ao todo a Cup já correu com cinco versões diferentes do carro, apenas a primeira e a atual contavam com o freio ABS.

Os carros são todos da mesma linha, o GT3 RS Cup, porém de modelos diferentes, os que foram utilizados na Porsche Cup Brasil foram os modelos: 996, 997(fases 1 e 2) e 991(Fases 1 e 2).

Os ajustes de carro sempre foram fechados, a organização que cuida deles, então os pilotos correm com o mesmo ajuste em seus Porsches nas etapas de Sprint da temporada. Atualmente os apêndices aerodinâmicos são opcionais. Além disso, as provas da categoria de endurance tem um pouco mais de liberdade de ajuste dos carros, mas tudo dentro de um limite estabelecido pela categoria.

FICHA TÉCNICA – PORSCHE GT3 CUP 996 (2005)

Número de cilindros : 6
Tipo: Boxer
Válvulas por cilindro: 4
Volume: 3,598 cm3
Rotação máx.: 8.000 rpm
Suspensão dianteira: McPherson
Suspensão traseira: Multi-link
ABS: Sim
Câmbio: 6 marchas – câmbio “H”
Peso do carro: 1.150 Kg
Potência do Motor: 380 hp
Tamanho dos pneus dianteiros: 24/64 ( largura/diâmetro em cm)
Tamanho dos pneus traseiros: 27/68 (largura/diâmetro em cm)

FICHA TÉCNICA – PORSCHE GT3 CUP 991.2 (2020)

Número de cilindros : 6
Tipo: Boxer
Válvulas por cilindro: 4
Volume: 3,996 cm3
Rotação máx.: 8.500 rpm
Suspensão dianteira: McPherson
Suspensão traseira: Multi-link
ABS: Sim
Câmbio: 6 marchas – paddle shift
Peso do carro: 1.200 Kg
Potência do Motor: 485 hp
Tamanho dos pneus dianteiros: 27/65 ( largura/diâmetro em cm)
Tamanho dos pneus traseiros: 31/71 (largura/diâmetro em cm)