Rodrigo Mello: campeão da GT3 Cup 4.0 corre de carro novo na Carrera Cup 4.0 2020

Com carro novo para 2020 após a aposentadoria do inesquecível “Pink Pig” Rodrigo estreia na Carrera Cup 4.0 em busca de mais um título.

Dono do Pink Pig terminou a temporada de 2019 da melhor forma possível, no topo da tabela da GT3 Cup 4.0 Sprint Series. Com seu nome confirmado mais uma vez para o grid dos carros de competição mais produzidos do planeta e pronto para acelerar na temporada 2020, Rodrigo promoveu uma mudança radical na identidade visual de seu Porsche.

Motivado para a nova temporada, Rodrigo espera repetir o bom ano de 2019, confira o que disse o piloto do carro #29.

“Quero ser bicampeão, claro, e também andar entre os carros da Carrera, agora com o meu novo Porsche, escolhido para ocupar o lugar do Pink Pig, que cumpriu seu papel ao terminar o ano passado no topo da tabela e agora está eternizado na história. Pensando grande, quero vencer uma corrida na geral com esse carro. Seria um sonho e uma realização, pois a categoria tem alguns dos melhores nomes do Brasil em seu grid.”

Para conhecermos um pouco mais sobre ele, preparamos algumas perguntas com curiosidades sobre automobilismo, hobbies pessoais e rituais que o piloto tem antes das provas da Porsche Cup.

1. Quem é seu ídolo no esporte?
R: Meu ídolo no esporte é e sempre foi o Ayrton. Mas também admiro muito o Nelson Piquet, curto muito seu lifestyle, fora que ele é um piloto “raíz” daqueles que sabem acertar o carro, montar seus carros. Gosto muito do estilão dele também.

2. Qual a primeira lembrança que tem de uma corrida considerando qualquer categoria?
R: Minha primeira lembrança é da F1, uma corrida de 1986 com o Ayrton correndo na Lotus.

3. O que sentiu quando acelerou o Porsche pela primeira vez?
R: Porsche sempre foi o sonho da minha vida. Desde menininho eu sempre brincava, e meu brinquedo sempre era o Porsche! Os outros carros eram dos outros. Sempre curti e sonhei em ter um Porsche. Quando acelerei um Porsche pela primeira vez foi uma realização muito grande. Mais ainda quando acelerei o de corrida, porque foi a junção de dois sonhos: ser piloto e ter um Porsche. Foi uma emoção enorme. O ronco do motor, a reação do carro! Aquilo me deixou num estado de realização completa.

4. Qual a corrida mais importante da carreira e por quê?
R: Sem dúvidas a mais importante foi a segunda corrida da preliminar da F1 em 2019, por uma soma de razões. A primeira delas é de que a imagem mais emblemática da minha vida no automobilismo ocorreu ali e essa imagem é o momento que eu puxei o pelotão largando na pole-position da geral, então na hora que o safety car saiu eu vi aquela cena perfeita do autódromo lotado, todo preparado para receber a F1 e eu ali na principal categoria preliminar daquele evento. A cena de ver as luzes vermelhas se apagarem nunca vai sair da minha cabeça.
Além disso eu ganhei essa corrida na minha categoria e me sagrei campeão dela. Sem dúvidas é a corrida mais importante para mim.

5. Qual corrida sonha em ganhar?
R: Meu sonho é ganhar uma corrida na geral durante a preliminar da Fórmula 1

6. Quantas temporadas correndo na Porsche Cup?
R: Comecei em 2013, então são 7 temporadas completas! Estou indo para minha oitava.

7. Por que escolheu este numeral para seu carro?
R: Eu sou vidrado no número 11, sempre que olho para o relógio são 11 horas, então sempre quis ter este número no meu carro, mas não podia pois já usavam. O número 29 foi escolhido pela soma deles dar 11 (2+9=11) e continuei com ele mesmo o 11 estando disponível.

8. Tem alguma superstição ou ritual antes das corridas?
R: Não tenho uma superstição, na verdade eu gosto de ouvir música. Gosto de ouvir um bom Rock, rock clássico, metal e isso me deixa em um estado de espírito ideal para correr as corridas.

9. Possui algum Hobby fora da pista?
R: Eu gosto muito de desenhar e de escrever, são hobbies que eu tenho e pouca gente sabe. Faço isso muito de forma privada.

10. Como entrou para o automobilismo?
R: Na verdade eu comecei com 9 anos! Queria muito uma minimoto, mas meu pai achava perigoso. Então ele me prometeu que se eu passasse de ano no colégio ele me colocaria no Kart. Estudei como nunca para poder passar de ano e começar a correr de kart. Corri dos 9 aos 10 anos. Passei um tempo afastado das pistas, só voltei em 2013 já na Porsche.

11. Qual seu gênero musical favorito
R: Sem dúvida é o Rock, mas gosto muito de música em geral.

12. Pratica outros esportes? Quais?
R: Sim, treino na academia praticamente todos os dias.

13. Qual a situação mais estranha que já viu em uma pista de corrida?
R: A situação mais estranha que eu vi, foi um piloto saindo do box pela contramão, em uma outra categoria, e como eu conheço ele, e é meu amigo, prefiro não dizer quem foi!!!

14. Tem algum apelido?
R: tenho vários! As pessoas me chamam de: Mello, Digo, Ro. Mas um que pegou na Porsche é Neneca, foi o apelido que minha mãe me deu na infância e me chama assim até hoje. Uma vez até colocaram Neneca no meu carro.

15. Se pudesse escolher guiar qualquer Porsche de rua no dia a dia qual modelo ia escolher e por quê?
R: Hoje eu estou vidrado na Porsche Taycan. Estou apaixonado nesse carro, acho que ele traz toda a inovação de um carro elétrico. A Porsche conseguiu chegar nesse mercado e trazer o que há de melhor nele, mesmo com outras fabricantes investindo pesado nisso. Tem um desempenho incrível e um design maravilhoso. Esse carro fala tudo na linha do que eu acredito. Advogo muito no setor de energias, principalmente no setor das energias renováveis. Eu realmente acredito que um carro desses é o futuro e a solução de muitos problemas. Então meu sonho é ter uma Taycan!

Close