Abel vê evolução no Vasco e espera contar mais com a sorte

Será que o jogo finalmente virou? É o que espera o técnico Abel Braga após a vitória de 1 a 0 sobre o Boavista, pela terceira rodada da Taça Guanabara. O gol de Germán Cano aos 48 minutos do segundo tempo aliviou o time, que já vinha sendo pressionado após um empate com os titulares e uma derrota jogando com os reservas nas duas primeiras partidas do Campeonato Carioca .

Apesar da atuação da equipe não ter sido boa, serviu para o único contratado na temporada de 2020 marcar seu primeiro gol com a camisa cruzmaltina e garantir a primeira vitória do no ano. Abel Braga analisou a atuação de Cano e disse que torce para que a sorte finalmente tenha chegado ao Gigante da Colina.

“Ele (Cano) ainda está sofrendo um pouco. A nossa transição de defesa para intermediária melhorou um pouco, mas tá faltando melhorar no último terço. Enquanto não melhorar ele sofre um pouco, mas isso vem com o tempo. O importante era vencer e nós conseguimos. Quando é dessa maneira a gente fica na esperança de mudar um pouquinho a sorte, também precisamos dela. Temos um jogo quinta-feira, depois vamos esperar o Botafogo e logo tem um grande teste contra o Oriente Petrolero, pela Copa Sul-Americana”.

Mesmo com a vitória sobre o Boavista, a torcida presente no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, vaiou o time após o apito final do árbitro. Pouco tempo antes do gol de Germán Cano, o time de Saquarema quase marcou, mas parou na trave. Abel Braga comentou as críticas da torcida.

“Eu vou morrer falando enquanto estiver trabalhando no futebol: o torcedor é soberano, ele é soberano. Eles vieram, incentivaram, e tem momentos que eles não gostam e vaiam o time. Problema zero. Eu adoro essa torcida porque eles sabem que quando eu joguei, quando eu vestia essa camisa no campo, a minha alma ficava lá. O que eu estou tentando fazer é isso, que a alma desses jogadores fique ali. Hoje foi uma prova disso. Você ganhar da maneira que ganhou, no último momento, eu acho que tem alguma coisa dessa relação que eu tive com o torcedor quando era jogador e que espero ter como treinador”.

Abel Braga aproveitou também para explicar porque disse o termo “foi lindo”, dito após o clássico contra o Flamengo.

“Eu me referi aos trinta primeiros minutos da partida. Nossa equipe estava descaracterizada porque não tínhamos nenhum tipo de entrosamento. Treinamos dois dias para encarar uma equipe que joga junto e que no ano passado ganhou praticamente tudo o que disputou. Foi só isso. Eu não gostei do resultado, não gostei de perder para o Flamengo, mas eu adorei os trinta minutos e volto a repetir isso, mas se as pessoas entenderam de forma errada, eu não tenho culpa, não posso fazer nada. Por isso agora cada vez que eu falar, vou responder menos palavras. Assim ninguém me perturba, porque quando o Abel fala alguma coisa é o caos”.

O próximo compromisso do Vasco é contra a Cabofriense, quinta-feira (30), em São Januário, às 21h30. A expectativa é que Abel escale o time titular. Para o confronto com o Botafogo, domingo (2 de fevereiro), no Estádio Nilton Santos, o técnico deve escalar o time reserva, já que na quarta-feira (05 de fevereiro) o Vasco recebe o Oriente Petrolero, da Bolívia, no estádio São Januário, pela primeira fase da Copa Sul-Americana.

Com informação: Agência Brasil