Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin têm programações distintas no dia de descanso do Rally Dakar 2020

Riyadh (Arábia Saudita) – Os brasileiros Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, da Monster Energy/Can-Am/South Racing, estão neste sábado (11/1) em Riyadh, capital da Arábia Saudita, para o dia de descanso do Rally Dakar 2020 – após seis etapas realizadas, metade da competição. Enquanto os mecânicos passaram as últimas horas fazendo um ajuste geral no UTV Can-Am Maverick X3, piloto e navegador aproveitaram, cada um do seu jeito, esse momento único longe das areias e das pedras.

Atual campeão mundial de Rally Cross Country da classe T3 e vencedor do Dakar em 2018 nos UTVs, Varela passeou pela cidade. “Aqui tem muitos prédios bonitos e shoppings. Sinceramente, não gosto muito do dia de descanso. Aqui os pilotos querem parar, mas, na minha opinião, o rali tinha que seguir direto”, destaca o paulista de 60 anos, patriarca da “Família da Poeira”.

Independente disso, ele usou o dia também para outros afazeres. “É quando temos tempo para lavar os macacões e as roupas, arrumar o motorhome e, claro, fazer uma manutenção preventiva completa no veículo. Trocamos algumas peças apenas por precaução, já que tá tudo sob controle”, completa Varela.

Já Gugelmin é totalmente a favor deste momento da competição. “O dia de descanso é uma beleza, não temos hora para acordar, podemos comer tranquilo e ter uma rotina normal. É bom porque a gente revê e fala com os amigos. Optei por não sair do acampamento para circular por aqui, conversar com as outras equipes, ver tudo o que ocorreu nesses últimos dias”, explica o navegador catarinense.

Com as primeiras etapas mais conturbadas, Varela e Gugelmin terminaram o sexto dia do Dakar 2020 na terceira colocação. Na classificação geral dos UTVs, eles ocupam a 13ª posição. “Sabemos que estamos um pouco longe dos ponteiros no tempo. Por isso, nossa estratégia para os próximos dias é tentar ganhar as especiais e esperar para ver o que acontece”, planeja Varela.

Categoria mais disputada da edição, os UTVs seguem com domínio da Can-Am. Dos dez primeiros colocados, oito são veículos da marca canadense. A liderança até então está com os chilenos Francisco “Chaleco” Lopez, piloto que defende o título da classe, e Juan Pablo Vinagre.

O Dakar 2020 entra neste domingo (12/1) na segunda e última semana de disputas. Os competidores deixam Riyadh e partem para Wadi Al Dawasir em um percurso de 741 quilômetros, sendo 546 de especiais, o maior trajeto cronometrado desta edição.

O 42ª Dakar termina na próxima sexta-feira (17/1) em Qiddiya, na Arábia Saudita, após serem percorridos 7800 quilômetros (pouco mais de 5000 km de especiais no total). Dos 46 UTVs inscritos na prova, 33 são da Can-Am, o que confirma o domínio da marca canadense da modalidade. A disputa conta também com motos, quadriciclos, carros e caminhões.

Rally Dakar 2020 – Categoria UTVs (SxS)

Acumulado após seis dias – Dez primeiros
1 – #400 – Francisco “Chaleco” Lopez / Juan Pablo Vinagre (CHI) – 28:52:26 – Can-Am Maverick X3
2 – #405 – Casey Currie / Sean Berriman (EUA) – 29:02:14 – Can-Am Maverick X3
3 – #411 – Sergei Kariakin / Anton Vlasiuk (RUS) – 29:22:50 – Can-Am Maverick X3
4 – #410 – Jose Antonio Lopez / Diego Gil (ESP) – 29:28:57 – Can-Am Maverick X3

5 – #412 – Mitchell Guthrie (EUA) / Ola Floene (NOR) – 29:40:15
6 – #404 – Conrad Rautenbach (ZWE) / Pedro Bianchi Prata (POR) – 29:52:40
7 – #427 – Austin Jones / Kellon Walch (EUA) – 30:22:41 – Can-Am Maverick X3
8 – #417 – Axel Alletru (FRA) / Francois Begun (BEL) – 30:45:41 – Can-Am Maverick X3
9 – #420 – Jesus Puras / Xavier Blanco (ESP) – 31:05:29 – Can-Am Maverick X3
10 – #433 – Santiago Navarro / Marc Sola Terradellas (ESP) – 32:14:10 – Can-Am Maverick X3
13 – #402 – Reinaldo Varela / Gustavo Gugelmin (BRA) – 33:03:46 – Can-Am Maverick X

Roteiro* Rally Dakar 2020 / Categoria para UTVs

12/1
Etapa 7 – Riyadh / Wadi Al Dawasir
Deslocamento – 195 km
Especial – 546 km
Total do dia – 741 km

13/1
Etapa 8 – Wadi Al Dawasir / Wadi Al Dawasir
Deslocamento – 239 km
Especial – 474 km
Total do dia – 713 km

14/1
Etapa 9 – Wadi Al Dawasir / Haradh
Deslocamento – 476 km
Especial – 415 km
Total do dia – 891 km

15/1
Etapa 10 – Haradh / Shubaytah – Etapa maratona
Deslocamento – 74 km
Especial – 534 km
Total do dia – 608 km

16/1
Etapa 11 – Shubaytah / Haradh – Etapa maratona
Deslocamento – 365 km
Especial – 379 km
Total do dia – 744 km

17/1
Etapa 12 – Haradh / Qiddiya
Deslocamento – 73 km
Especial – 374 km
Total do dia – 447 km

TOTAL DO PERCURSO – 7855 km
TOTAL ESPECIAIS – 5096 km

* As informações são fornecidas pela organização do evento e estão sujeitas e alterações.

Sobre a BRP – A BRP é líder global no segmento de veículos motorizados esportivos, sistemas de propulsão e embarcações construídos em mais de 75 anos de capacidade inventiva e foco intensivo no consumidor. O portfólio do grupo canadense é formado por produtos e marcas líderes de mercado, o que inclui as motos de neve Ski-Doo e Lynx, as embarcações Sea-Doo, os veículos on-road e off-road da Can-Am, os barcos Alumacraft e Manitou e os sistemas de propulsão marítima Evinrude e Rotax, bem como os motores Rotax para karts, motocicletas e aeronaves recreativas. A BRP apresenta como apoio a sua linha de produtos o suporte completo em peças, acessórios e vestuário, para aprimorar ainda mais a experiência do consumidor. Com vendas anuais de US$ 4,5 bilhões em mais de 100 países, o grupo conta com força de trabalho global composta por cerca de 10.350 pessoas motivadas e engenhosas.

www.brp.com
@BRPNews

Ski-Doo, Lynx, Sea-Doo, Evinrude, Rotax, Can-Am, Alumacraft, Manitou, Maverick X3 e o logotipo da BRP são marcas registradas da Bombardier Recreational Products Inc. ou de suas afiliadas. Todas as outras marcas registradas são de propriedade de seus respectivos proprietários.

Por favor, navegue até a página para ver este conteúdo.