Athletico-PR nega acusação de aliciamento de atleta de 13 anos

Um dia depois de a diretoria do Botafogo acusar o Athletico-PR de aliciar a família de Bernardo Silva Rocha Valim, de 13 anos, jogador da base do time carioca, a direção do clube paranaense veio a público nesta quarta-feira para rebater, com indignação e surpresa, a acusação e afirmar que não cometeu nenhum tipo de ilegalidade.

Em um comunicado oficial divulgado na terça-feira, no qual descreveu a situação como “execrável”, o Botafogo afirmou que os familiares de Bernardo foram convidados a visitar as instalações da agremiação paranaense em dezembro do ano passado. Segundo o clube carioca, o atleta, que está no time desde a categoria sub-11, assinaria vínculo de formação assim que completasse 14 anos, idade mínima permitida por lei, no próximo dia 20.

Nesta quarta-feira, o Athletico-PR disse que a família do jogador manifestou interesse em conhecer a estrutura do clube e, após isso, checou a condição do atleta junto ao Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Segundo os paranaenses, não havia registro do atleta com o Botafogo. Com isso, a família de Bernardo foi convidada a conhecer as instalações e optou por iniciar a formação em Curitiba.

“A acusação do Botafogo, lamentavelmente, carece de precedentes verídicos, éticos e legais, sobretudo por ignorar o conteúdo normativo do Movimento de Formação do Futebol Brasileiro (MFFB) e da legislação brasileira pertinente à espécie. É importante registrar que a proteção contratual jurídico-desportiva de atletas maiores de 12 anos de idade e, por evidência, sem contrato de formação, é condicionada a prévio registro perante o Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Somente por este expediente é que se dá conhecimento da regularidade legal e federativa do atleta perante terceiros”, informou a nota oficial do Athletico-PR.

O Botafogo afirmou na terça-feira que promete tomar todas as medidas cabíveis contra o Athletico-PR. “Diante deste fato extremamente reprovável e que rema contra todos os valores éticos preservados pelos clubes, o Botafogo ressalta que envidará esforços extremos para que sejam tomadas todas as medidas cabíveis contra o Club Atlhetico Paranaense por tal ocorrência”. O clube também cobra do Movimento dos Clubes Formadores um posicionamento “firme e coerente”.

Veja a íntegra da nota emitida pelo clube paranaense:

O Club Athletico Paranaense vem publicamente manifestar surpresa e indignação em face da acusação de aliciamento proferida pelo Botafogo de Futebol e Regatas a respeito de atleta menor de idade (13 anos), na última terça-feira (7), por meio de seu site oficial.

A acusação do Botafogo, lamentavelmente, carece de precedentes verídicos, éticos e legais, sobretudo por ignorar o conteúdo normativo do Movimento de Formação do Futebol Brasileiro (MFFB) e da legislação brasileira pertinente à espécie.

É importante registrar que a proteção contratual jurídico-desportiva de atletas maiores de 12 anos de idade e, por evidência, sem contrato de formação, é condicionada a prévio registro perante o Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Somente por este expediente é que se dá conhecimento da regularidade legal e federativa do atleta perante terceiros.

Aliás, recentemente, o próprio Athletico Paranaense teve um atleta na mesma faixa etária, com participação em algumas súmulas de jogos pelo CAP, que optou livremente por seguir a sua iniciação desportiva em outro grande time, sem qualquer alegação de aliciamento pelo nosso Clube, simplesmente por observar e respeitar a legislação e as normas do MFFB.

No caso em questão, a própria família do atleta menor manifestou interesse em conhecer o projeto e a estrutura do Athletico Paranaense para formação desportiva, já visando a iniciação autorizada por lei, a partir dos 14 anos de idade. A partir daí, o CAP tomou a devida cautela de checar o BID/CBF. Certificando-se que não constava qualquer registro do atleta em nome do Botafogo ou de qualquer outro clube, assim como a alegação da família de que não havia registro, contrato ou até mesmo bolsa-auxílio em seu favor, convidou-o a conhecer as instalações, optando este por aqui firmar e iniciar sua formação desportiva. Não há o que se falar em aliciamento ou qualquer tipo de ilegalidade na conduta do CAP.

Diante deste esclarecimento, o Athletico Paranaense lamenta profundamente a nota publicada pelo Botafogo. Além de expor de maneira imprópria a imagem de um menor de idade, deturpa os fatos de maneira totalmente nefasta, em uma clara tentativa de coagir o atleta e o nosso Clube.

O Athletico Paranaense condena a difamação promovida pelo Botafogo e reafirma seu rígido compromisso com a lei e com ética na formação desportiva.

Presidência

Close