Senegal completa a lista de localidades para a temporada inaugural do Extreme E

Foto: Extreme-E

Lac Rose, no Senegal, na costa oeste da África, foi revelado hoje como o local da corrida oceânica para a temporada inaugural do Extreme E, a nova série pioneira de corridas elétricas off-road que usa o esporte para aumentar a conscientização sobre os problemas climáticos globais.

Alejandro Agag, fundador e CEO da Extreme E, juntou-se a Abdou Thiam, presidente da Federação Senegalesa de Automóveis, para fazer o anúncio durante uma limpeza comunitária da praia no local proposto para a corrida em Lac Rose, também conhecido como Lago Retba, a aproximadamente 30 quilômetros da capital senegalesa, Dakar.

Alejandro disse: “Estou muito satisfeito por confirmar o Senegal como nosso local de corrida no oceano. Esta é uma área de excepcional beleza natural, mas infelizmente, como muitas das áreas costeiras do mundo, está sob séria ameaça de vários problemas climáticos.

“Atualmente, essa costa perde de três a quatro metros por ano, e um dos principais contribuintes para isso é a camada de gelo derretido da Groenlândia, apesar de estar a mais de 6.500 km de distância do Círculo Polar Ártico.”

“Como 30% das emissões de CO2 do planeta são provenientes do transporte, o que contribui para o aquecimento global, o Extreme E mostrará o desempenho de veículos elétricos usando uma poderosa combinação de ação esportiva emocionante, educação científica e narração, para acelerar a adoção da mobilidade elétrica e ajudar a tornar o mundo mais sustentável o mais rápido possível.

“Esperamos que o Extreme E inspire os amantes do esporte, juntamente com as comunidades e os governos locais e além disso,  aumentar a ambição pela mudança climática, promovendo um esforço conjunto para limitar o aquecimento global a 1,5 graus Celsius.

“É uma corrida que podemos vencer, e devemos vencer, para evitar um agravamento significativo do risco de temperaturas extremas, derretimento de geleiras, aumento do nível do mar, secas, inundações e muito mais, para centenas de milhões de pessoas, incluindo as que moram aqui no Senegal “.

Alejandro acrescentou: “Hoje, em comemoração ao nosso anúncio, temos o prazer de iniciar esforços e trabalhar com a to.Org, uma entidade local, organizando uma limpeza comunitária da praia do local da corrida aqui em Lac Rose. O plástico coletado será usado para fazer tijolos verdes para ajudar a construir banheiros para mais de 300 crianças de uma escola que atualmente conta com apenas dois banheiros. Este é apenas um primeiro passo na busca por construir um relacionamento positivo de longo prazo com a comunidade local antes do nosso evento em 2021.”

Abdou Thiam, presidente da Federação Senegalesa de Automóveis, disse: “Estamos muito felizes em sediar uma corrida Extreme E, que certamente é o futuro do automobilismo. O esporte tem uma grande responsabilidade em ajudar as pessoas a entender a questão da mudança climática e estamos orgulhosos de fazer parte desta aventura.”

Extreme E é um novo e radical campeonato de corridas em que os E-SUVs se enfrentarão em algumas das localidadades mais remotas do mundo. O objetivo é destacar o impacto que a mudança climática e a interferência humana já estão causando nesses ecossistemas, promovendo a adoção de veículos elétricos para ajudar a preservar o meio ambiente, aumentar a sustentabilidade e proteger o planeta.

O Senegal é o quinto e último local confirmado para a primeira temporada, em conjunto com Kangerlussuaq na Groenlândia, floresta amazônica no Brasil, Arábia Saudita e Himalaia no Nepal, conformando as cinco arenas listadas no calendário inaugural.

To.Org é um acelerador para as empresas mais importantes do mundo. Sua presença em Dakar se concentra em reunir parceiros para resolver os problemas sociais e ambientais mais críticos da região (elevação do nível do mar, degradação do ecossistema marinho e desertificação), agravados pela sobrepesca, gestão inadequada de resíduos e mudança climática. Extreme E usou o conhecimento único da to.Org sobre o Senegal para identificar Lac Rose como local de corrida.

Nachson Mimran, co-fundador e CEO da to.Org, disse: “Tendo crescido no Senegal, experimentei em primeira mão os desafios que a região do Sahel enfrenta devido às mudanças climáticas. Esses desafios tornam o Senegal uma opção atraente para a corrida de estreia do Extreme E no oceano.”

“Extreme E é uma série de corridas ecologicamente focada e moderna com a missão de deixar um legado positivo que funcionará em conjunto com a infraestrutura local e ajudará a resolver os problemas que enfrentamos no Senegal. É inspirador receber um campeonato como este em nosso país. ”

Além de trabalhar com grupos da comunidade local, o Extreme E também terá como aliados os líderes mundiais em ciência para ajudar a aconselhar sobre iniciativas para o legado a futuro e programas de pesquisa e educação em cada local. A Dra. Lucy Woodall é Cientista Principal da Fundação Nekton, especializada em pesquisar o impacto humano no ambiente marinho.

A Dra. Lucy Woodall diz: “Só temos um planeta saudável se tivermos um oceano saudável. As atividades humanas têm impactado o oceano há décadas, porém se tornaram mais evidentes recentemente. O mais óbvio é o aumento do nível do mar que induzido pelo comportamento humano é uma das consequências da mudança climática. Isso leva a uma diminuição da estabilidade dos ecossistemas costeiros e a uma diminuição da biodiversidade. Além disso, o aumento do nível do mar aumenta consideravelmente o risco de comunidades costeiras perderem sua proteção biológica (manguezais, florestas e recifes de coral) devido a tempestades. O aumento do nível do mar é, conseqüentemente, um desastre para a biodiversidade marinha, assim como para as sociedades humanas cuja sobrevivência depende delas.”

“O Extreme E oferece uma plataforma nova e bastante empolgante para destacar esses problemas importantes com novos públicos e estou interessada em ver o esporte usado dessa maneira para aumentar a conscientização”.

A ação das corridas no Senegal ocorrerá por três dias, em uma área não superior a 10 km2. Os projetistas de pistas têm a tarefa de selecionar cuidadosamente as opções de curso que fornecem a ação de carreira mais desafiadora e emocionante.

No Senegal, bancos de areia, leitos de sal, cascalhos, pedras e ondulações fornecerão aos motoristas, as equipes e ao inovador ODYSSEY 21 E-SUV da série, um verdadeiro desafio, pois eles navegarão pelas trilhas estreitas de areia fora da estrada, ao redor e entre o incrível Lac Rose e o Oceano Atlântico.

As rotas serão projetadas para incorporar obstáculos e recursos existentes com mudanças e saltos de altitude, minimizando o impacto ambiental. A série terá ação nas trilhas existentes ao redor do lago, que leva o nome e é famosa por sua impressionante cor rosa, um fenômeno causado pelas algas que crescem em suas águas altamente salinas.

Mais notícias sobre equipes, parceiros e pilotos serão reveladas nas próximas semanas, e a campanha inaugural começará em fevereiro de 2021. O calendário completo da primeira temporada será anunciado no dia 17 de dezembro.

Para mais informações sobre o Extreme E, visite – www.Extreme-E.com

Sobre o Extreme E:

Extreme E é uma série de corridas radicalmente nova, que terá SUVs elétricos competindo em ambientes extremos ao redor do mundo, em locais que já foram danificados ou afetados por problemas climáticos e ambientais. A viagem global de cinco corridas destaca o impacto das mudanças climáticas e da interferência humana em alguns dos lugares mais remotos do mundo e promove a adoção de veículos elétricos para ajudar a preservar o meio ambiente e proteger o planeta.

Outra característica única do Extreme E é sua garagem flutuante, o RMS St. Helena. O antigo navio de carga Royal Mail está sendo modernizado e reparado para reduzir suas emissões. Ele será usado para transportar a carga e a infraestrutura do campeonato, incluindo veículos, até o porto mais próximo, minimizando o impacto ambiental do Extreme E, e será usado para facilitar a pesquisa científica por meio de um laboratório a bordo.

O Extreme E é operado em associação com a Fórmula E, organizadora do Campeonato ABB FIA Fórmula E.

O Extreme E está comprometido com a sustentabilidade e a minimização do impacto ambiental, assim como com seu papel na reconstrução e restauração de áreas já afetadas pelas mudanças climáticas.