5 de dezembro: Dia Internacional do Voluntariado

O voluntariado educativo permite que valores éticos sejam vivenciados dentro e fora da sala de aula e trazem experiências singulares aos alunos

No dia 05 de dezembro é comemorado o Dia Internacional do Voluntariado. A data foi criada pela ONU – Organização das Nações Unidas – em 1985, com o objetivo de promover e incentivar ações voluntárias ao redor do mundo. No Brasil, conforme aponta pesquisa do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística –, mais de 7,2 milhões de pessoas estão envolvidas com algum tipo de trabalho voluntário.

Um trabalho voluntário não se resume no ato de fazer o bem a alguém necessitado. Consiste na educação para a adversidade, no respeito ao próximo, na tolerância, na valorização da família e da própria saúde. Estes pilares precisam estar bem fortalecidos para que o voluntariado seja executado na sua plenitude. 

Desta forma, o Colégio Oshiman entende que as instituições de ensino exercem um papel fundamental no incentivo à prática do voluntariado, e tem dentro da sua programação pedagógica diversas atividades que visam ajudar e acolher as pessoas carentes, seja através de mantimentos, roupas, carinho, atenção etc.   

“Nós ressignificamos o voluntariado quando o trouxemos para o contexto pedagógico. Reconhecemos que os assistidos também podem nos ensinar muito, e colaboram significativamente para a formação da vida. No Colégio Oshiman, o voluntariado vai muito além de se fazer um favor… Existe uma rica e importante troca, na qual nós – educadores –, priorizamos a formação dos nossos alunos que, a cada ação valorizam ainda mais a vida e adquirem novas experiências”, disse a diretora do Colégio Oshiman, Mayumi Madueño.

Compartilhando Carinho 

O Compartilhando Carinho é um projeto de responsabilidade social desenvolvido pelo Colégio Oshiman e pela Escola de Línguas Shohaku, que promove o apoio e a inclusão social desde os anos 1960.

“O Compartilhando Carinho nos permite unir a comunidade escolar em prol de uma causa que beneficia cerca de 45 instituições que acolhem crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social ou de saúde. Desenvolvemos diversas ações, cada uma com o seu objetivo e identidade: o Carinho do Mês, por exemplo, possibilita a coleta e a distribuição mensal de doações de alimentos, produtos de higiene e de limpeza; o Voluntariado de Inverno, o Voluntariado de Verão, o Sonho de Criança e o Sonho de Natal propiciam o convívio entre alunos, professores e funcionários da escola com as pessoas acolhidas pelas entidades. São momentos ricos de afeto, carinho e troca de experiências. Dentre as diversas ações do Compartilhando Carinho, talvez a mais significativa seja o Abraço Amigo, que promove a inclusão social de crianças e jovens que vivem em abrigos. Por meio desta ação social, concedemos bolsas de estudos e integramos essas crianças e jovens no ambiente escolar e familiar dos alunos do Colégio Oshiman. Com muito carinho, incentivo e uma educação escolar idêntica a dos demais alunos, eles ganham uma nova perspectiva de vida, podendo sonhar e construir um futuro melhor, uma vez que almejamos inseri-los na sociedade com conhecimentos, autoestima, valores e um diploma universitário”, disse o coordenador de projetos do Colégio Oshiman, Ricardo Pires. 

As escolas que desejam formar jovens com o olhar voltado para as carências de suas comunidades, precisam criar mecanismos para que eles possam conhecer, identificar essas necessidades e conviver com as diferenças. A máxima de trocar experiências e desenvolver o que há de melhor em cada um é o que torna o projeto do Colégio Oshiman tão desafiador.

Ser voluntário e fazer parte desse projeto é extremamente importante para a formação dos jovens, pois contribui para que saiam de um mundo tão fechado e confortável – o que é essencial para que se tornem seres humanos mais íntegros e desenvolvam seus potenciais”, salientou a vice-diretora do Colégio Oshiman, Emy Ueda Saito. 

Saldo positivo comprovado 

Faz parte do conceito pedagógico do Colégio Oshiman a formação do ser, e estes projetos transformam a vida dos alunos e ex-alunos, como é o caso da Carolina Kawagoe, formanda da turma de 2015. “Desde o 6º ano participo do voluntariado do Oshiman. É uma experiência rica e marcante, da qual faço questão de participar até hoje, principalmente, na Casa da Esperança, a Kibô-No-Iê (instituição para deficientes mentais). Eles nos recebem com tanta alegria! É emocionante”, destacou Carolina. 

A psicóloga do Kibô-No-Iê, Giane Rosa, relata que as visitas transformam o dia dos assistidos. “Os residentes não têm muito contato externo e sempre que temos visitas, o dia deles se torna especial. É um aprendizado para eles e para os alunos do Colégio Oshiman que trazem carinho e atenção”, encerrou a psicóloga. 

Close