Extreme E confirma etapa na Amazônia em 2021

Hoje a nova categoria elétrica off road, Extreme E, confirmou a segunda etapa do campeonato que terá início em 2021, na Amazônia, na região de Santarém no estado do Pará.

Alejandro Agag, CEO do XE, e da Fórmula e, esteve na região e viu de perto a situação, “Estou muito satisfeito por estarmos indo para a Amazônia na primeira temporada.”
“O Extreme E tem como objetivo usar sua posição como um esporte revolucionário de classe mundial como uma ferramenta para destacar os problemas que o planeta enfrenta e seus ecossistemas únicos, e existem poucos locais mais relevantes nesse sentido do que a Amazônia.”

“Várias questões afetam a saúde a longo prazo da floresta, como o desmatamento e os incêndios florestais. Na verdade, eu visitei o local preciso a um mês, onde vimos florestas intocadas, que agora foram dizimadas pelo fogo.”

Pela primeira vez no automobilismo, o Extreme E verá SUVs elétricos competindo em ambientes remotos que já foram danificados ou afetados por questões climáticas e ambientais. A viagem global de cinco corridas destaca o impacto das mudanças climáticas e da interferência humana promovendo a adoção de veículos elétricos para ajudar a proteger o planeta.

A floresta amazônica é o segundo local a ser confirmado, após o recente anúncio de que a Groenlândia sediará a rodada do Ártico. Três outros eventos estão sendo observados no Himalaia, no deserto e em uma região costeira do oceano, onde os problemas enfrentados incluem desmatamento, elevação do nível do mar, derretimento de geleiras, desertificação e poluição plástica.

Os fins de semana das corridas ocorrem em três dias, em uma área não superior a 10 km2. Os projetistas de pista foram encarregados de selecionar cuidadosamente as opções de percurso, que fornecem a ação de corrida mais desafiadora e emocionante, ao mesmo tempo em que não geram impactos negativos, tanto do ponto de vista ambiental quanto social. As rotas serão projetadas para incorporar obstáculos e recursos existentes com mudanças e saltos de elevação, sem a necessidade de adaptar o ambiente.

Além de usar o esporte para destacar as questões climáticas em seus cinco locais, o Extreme E trabalhará ao lado de especialistas locais em cada região para implementar iniciativas positivas, dependendo das necessidades locais.

A restauração de um ecossistema como a Amazônia é um processo complexo e de longo prazo. Os especialistas locais ajudarão a garantir que sejam realizadas avaliações ambientais, sociais e governamental completas para contribuir com o restabelecimento total das funções florestais e de sua biodiversidade.

Além disso, os organizadores da corrida estão desenvolvendo planos para rastrear e monitorar a água, os resíduos e as emissões das equipes em cada local da corrida, com incentivos esportivos e financeiros sendo considerados para aqueles que atingem os menores resultados globais.

A primeira temporada está prevista para começar em fevereiro de 2021, com quatro equipes já confirmadas para participar – Venturi, ABT Sportsline, HWA AG e Veloce Racing. Novos anúncios sobre equipes, locais e pilotos serão feitos nos próximos meses.

Foto: Extreme E