Jean Todt gostaria de mais equipes no grid da Fórmula 1

Prestes a ter o inicio oficial da temporada no próximo domingo, no Grande Prêmio da Austrália, a Fórmula 1 2019 terá como uma de suas novidades as diversas mudanças na formação de pilotos, algumas delas motivadas pela decisão dos próprios condutores e outras pela falta de espaço. E justamente a ausência de bons pilotos no grid foi um tema levantado pela presidente da FIA, Jean Todt, para justificar a ideia de aumentar o grid.

Em entrevista concedida ao canal Sky Sports, Todt afirmou que torce por um aumento no número de equipes na categoria visando as próximas temporada. Segundo o mandatário, esse é um dos pontos a serem considerados pela nova diretoria da Fórmula 1, até por conta das questões comerciais que poderiam envolver duas ou três equipes a mais.

“É sempre um longo debate. No momento, temos dez equipes estáveis. Como vocês sabem, estamos conversando com o detentor dos direitos comerciais da Fórmula 1 [Liberty Media] e com as equipes sobre a renovação do Pacto da Concórdia de 2020. E estamos considerando muitas coisas. É claro que para mim que seria melhor ter 12 equipes”, disse Todt.

O presidente da FIA, entretanto, fez a ressalva quanto a competitividade e a necessidade de equipes fortes para que acrescentem a qualidade do grid de largada. A última vez que a Fórmula 1 teve mais de 20 carros foi em 2014, quando a Caterham fazia parte da categoria.

“Se você falar sobre isso com os diretores de equipe, eles não ficarão muito felizes com isso, porque é claro que isso vai mudar a distribuição financeira, então será diferente para eles. Mas tudo faz parte da discussão. O mais importante não é tanto o número de equipes, é a qualidade da equipe e a qualidade do show. Então, isso é algo que fazemos totalmente de acordo com a Fórmula 1, com Chase Carey, com sua equipe e estamos trabalhando em conjunto”, finalizou.

Fonte: Gazeta Esportiva


Anterior:

Próxima:
Traduzir »