F1: Daniel Ricciardo explica sua escolha pela Renault

Daniel Ricciardo surpreendeu o mundo automobilístico no meio da temporada passada ao assinar contrato com a Renault, deixando a Red Bull, equipe com um dos carros mais competitivos dos últimos anos. Mesmo com a desconfiança dos fãs com a ida do piloto para uma construtora que não vinha entre os principais nomes da Fòrmula 1, o australiano finalmente revelou as razões que fizeram ele apostar na troca para 2019.

Em uma entrevista para a revista americana Racer, Ricciardo revelou sobre suas possibilidades antes da sua decisão. “Obviamente eu sabia que as opções estavam se encolhendo. Àquela altura, eu sabia que a Mercedes não aconteceria, nem a Ferrari, então eu sabia que eu estava entre a Red Bull, McLaren e Renault. Eu ainda não tinha certeza”, disse.

E o piloto falou dos problemas que o fizeram decidir sair da Red Bull antes de mais nada, dependendo de como seria o rendimento do motor do carro, fornecido pela Honda. “Haviam algumas coisas. O que eu estava rebatendo originalmente era que eles queriam um contrato de dois anos, porque eu havia questionado se eu queria fazer mais um ano lá, então fazer dois anos… Eu estava preocupado comigo pessoalmente, com minha motivação. Eu estava pensando: se a Honda não funcionar, o próximo ano será um ano de frustração. Então, será que eu vou querer fazer mais um ano disso ou vou ficar cheio? Então, inicialmente o acordo de dois anos era algo que me preocupava, então eu tentei forçar para que fosse [um contrato] de um ano, e, se a Honda funcionar, ótimo, renovaremos. Fácil”

“Mas aí um ano me pareceu arriscado. Senti que eu não estava conquistando nada por assinar por um ano. Não sei, apenas não acrescentou em nada. Então, o que eu pensei que eu queria, na verdade eu não queria. Então, não havia nada para mim. O contrato de dois anos não era algo que eu queria, e o contrato de um ano me colocaria nessa posição novamente daqui a 12 meses, e não quero estar nessa posição de novo, porque chega a um ponto que começa a desgastar”, completou Ricciardo.

Para escolher a equipe francesa, o piloto falou na evolução que a Renault deve ter a partir deste ano. “Já a apresentação e tudo mais que a Renault fez, me pareceu… Sabemos que eles ainda têm um trabalho pela frente com o chassi e o motor, mas o que eles mostraram, aquilo que fizeram nos últimos dois anos, quando eles puseram tudo no papel, a trajetória deles me pareceu realista. Me parecia ser algo que pode dar certo”, finalizou o australiano.

Fonte: Gazeta Esportiva


Anterior:

Próxima: