Stock Car: Hero encerra temporada presenteando fãs

Box da equipe Hero em Interlagos: 14 vitórias em 3 categorias nacionais

Festa e grandes atuações marcaram a atuação da equipe na etapa final da Stock Car

A equipe Hero Motorsport encerrou sua participação na Stock Car no último domingo (9) oferecendo aos fãs vários bons motivos para celebrar o esporte. O primeiro deles foi o patrocínio, por parte da marca especialista em segurança digital, da própria prova que definiu o título de 2018 em favor de Daniel Serra – que se chamou Hero Super Final. A marca também montou uma arquibancada para 300 pessoas que foi ocupada por seus colaboradores e familiares e foi reconhecida por ter seus três pilotos entre os mais votados no fan push. Além disso, a Hero promoveu sua tradicional festa durante a visitação – com distribuição de camisetas, bonés e brindes, além de fotos com os pilotos enviadas diretamente aos fãs. Completando o pacote, a Hero Motorsports viu uma grande atuação de seus pilotos e cumpriu a promessa de dar de presente uma corrida na Stock para Gaetano Di Mauro, uma das grandes promessas do automobilismo brasileiro na atualidade. “Realizei o meu sonho”, definiu Gaetano.

No sábado, a equipe recebeu a visita do piloto da Moto2GP e bicampeão da Superbike Pro Eric Granado, que trocou informações com Di Grassi sobre categorias que utilizam motores elétricos. Lucas é campeão mundial da F-E e especialista na aplicação desta tecnologia em competições. Granado também interagiu com Bruno Baptista e Gaetano Di Mauro e ficou feliz com a visita. “Muito legal ter vindo aqui e conhecido o Lucas e os outros pilotos da equipe. Foi legal também ter conhecido um pouco mais sobre a Stock e ter visto de perto detalhes sobre os carros”, disse o piloto que representará o Brasil na Moto-E, novo campeonato mundial que começará em 2019.

Lucas Di Grassi largou apenas em 17º por que choveu momentos antes de sua volta rápida nas tomadas de tempo – e isso o impediu de repetir o desempenho do dia anterior, quando foi segundo colocado na soma dos treinos. Como já havia feito em sua notável atuação na etapa anterior, quando largou em último e chegou em quarto, Lucas andou em quinto em Interlagos e poderia ter sido quarto colocado devido aos problemas sofridos pelo carro de Ricardo Maurício no final da prova. Melhor piloto em ano de estreia em 2018, Di Grassi acabou abandonando a corrida por quebra da sonda lambda. “Meu carro passou a consumir muito mais e com isso a gasolina acabou a uma volta do final”, disse Lucas.

Gaetano Di Mauro foi autor de outra corrida notável. Depois de largar em 12º, ele brigou de igual para igual com os grandes nomes da categoria e chegou a ocupar a sexta posição – mas foi envolvido em um incidente que o fez perder diversas posições. “Na saída das paradas obrigatórias, um concorrente errou e praticamente colocou nós dois para fora em uma curva, o que nos jogou lá para trás no pelotão. Mas acho que mostrei o que posso fazer e estou feliz com o resultado dessa estreia. Agradeço à Hero por viabilizar esse sonho, que acabei realizando aqui em Interlagos”, disse o jovem de 21 anos, que viveu a emoção de competir pela primeira vez na Stock sob os olhares e entusiasmo da família, toda ela convidada especial no box da equipe. Gaetano terminou a prova no décimo lugar.

Já Bruno Baptista, que também estava em sua temporada de estreia, não pôde realizar a corrida que pretendia – sua meta era lutar pelo pódio. Melhor classificado do time nas tomadas de tempo, ele largou em oitavo, mas logo nas primeiras voltas um pedaço do extrator do carro de Cacá Bueno se alojou na grade frontal do Stock, prejudicando seus contornos de curva.

“A peça impedia que eu controlasse o carro em curvas para os dois lados”, diz ele. “Na parada de box, a equipe tentou tirar mas a peça não cedeu. Parece que ficou presa de uma forma que seria preciso levantar o carro para arrancar. Então, considerando o tempo que perderíamos no conserto, o time optou por me mandar de volta assim mesmo. Era possível pilotar, mas nas curvas eu não conseguia fazer os movimentos mais radicais. E isso fez diferença”, comentou Bruno, de 21 anos, piloto mais jovem da Stock em 2018. Baptista chegou a andar em sétimo, mas depois do acidente, nas primeiras voltas da corrida, seu carro perdeu muito rendimento – e ele ficou oscilando até terminar em 13º.

“Até breve” – Embora a equipe Hero Motorsport tenha decidido encerrar suas atividades depois de duas temporadas marcadas por 14 vitórias em três categorias de nível nacional e também por muita inovação e entusiasmo, tanto Bruno quanto Gaetano trabalham para dar continuidade a suas carreiras na Stock Car. Os dois negociam suas possibilidades para 2019. Mas foi Lucas Di Grassi quem deu o tom desse final de temporada: “No ano que vem vou focar na Fórmula E. Mas, com as três vitórias que conseguimos nesse ano de estreia na Stock, agora eu gostaria de voltar a competir na Stock, para tentar o título no futuro. E espero que este seja apenas um “até logo” da Hero, por que seria muito legal voltar com eles para a categoria. Por que, da minha parte, é apenas um até breve”.

Resultado – Hero Super Final:
1. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – 25 voltas em 41min51s513 (154,4 km/h)
2. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 4s414
3. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 5s894
4. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – a 15s670
5. 88 Felipe Fraga (Cimed Chevrolet Racing) – a 16s271
6. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 16s359
7. 80 Marcos Gomes (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 16s587
8. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 19s415
9. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – a 19s725
10. 544 Gaetano di Mauro (Hero Motorsport) – a 20s519
11. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 20s989
12. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 21s413
13. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 24s118
14. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 24s403
15. 12 Lucas Foresti (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 24s915
16. 18 Allam Khodair (Blau Motorsport) – a 32s977
17. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 34s303
18. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 37s816
19. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – a 39s514
20. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – a 1min06s954
21. 31 Willian Starostik (KTF Sports) – a 1min18s549
22. 20 Ricardo Sperafico (Bardahl Hot Car) – a 1 volta
23. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 1 volta
24. 11 Lucas di Grassi (Hero Motorsport) – a 1 volta
25. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – a 1 volta
26. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
27. 9 Guga Lima (Vogel Motorsport) – a 8 voltas
28. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – a 8 voltas
29. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Contuflex) – a 10 voltas
30. 0 Cacá Bueno (Cimed Chevrolet Racing) – a 18 voltas
31. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 24 voltas
MELHOR VOLTA: Marcos Gomes, 1min37s098 (média de 159,7 km/h)

Texto: Assessoria
Foto: Divulgação


Anterior:

Próxima:
Traduzir »