David Coulthard e Adrian Newey por trás da categoria feminina W Series

David Coulthard colocou seu peso apoiando a nova categoria de corridas exclusivamente feminina, a W Series, com o objetivo de ajudar as mulheres a chegarem à Fórmula 1.

Lançada na quarta-feira, a W Series, oferece um prêmio de US $ 1,5 milhão e é gratuita para as 18 a 20 mulheres que serão escolhidas com base em testes de desempenho.

A categoria terá lugar na Europa, com seis corridas de 30 minutos disputadas em carros idênticos aos da Fórmula 3, que serão fornecidos pela organização do campeonato.

A última mulher a largar em um GP de F1 foi a italiana Lella Lombardi, em 1976.

Coulthard disse: “Para ser um piloto de corridas bem sucedido, você precisa ser habilidoso, determinado, competitivo, corajoso e fisicamente apto, mas não precisa ter o tipo de níveis de força super-poderosos que alguns esportes exigem”.

“Você também não precisa ser um homem”.

“Elas podem ser tão boas quanto Lewis Hamilton? Eu não sei, mas sei que há muitos homens na F1, que não são tão bons quanto Lewis”.

“Então, se não criarmos uma plataforma que possa dar uma oportunidade para acelerar esse acesso, nada mudará.”

O escocês, 13 vezes vencedor de GPs, está no conselho consultivo, juntamente com o guru técnico da Red Bull, Adrian Newey.

Ambos estarão envolvidos no programa de treinamento de pilotos.

“Eu tenho uma compreensão razoável das constituintes do conjunto de habilidades necessárias de um piloto de primeira classe. E a força bruta não está nessa lista ”, disse Newey.

“Sendo esse o caso, acredito que a razão pela qual tão poucas mulheres até agora correram com sucesso nos níveis mais altos contra os homens, é a falta de oportunidade, e não a falta de capacidade”, concluiu.

Leia mais: https://f1mania.lance.com.br/outros/david-coulthard-e-adrian-newey-por-tras-da-categoria-feminina-w-series/


Anterior:

Próxima: