Competidores aprovam percurso do Sertões 2012. Presentes no encontro da noite da última terça-feira (3) ou em casa acompanhando a transmissão ao vivo do briefing via Facebook, pilotos, navegadores e chefes de equipe elogiaram roteiro da edição de 20 anos do rali

Os 4.846 quilômetros do Rally dos Sertões 2012, principalmente seus 2.296 quilômetros de especiais, foram aprovados pelos competidores que se inscreveram para a edição de 20 anos do maior rali do mundo disputado dentro de um único território. Presentes ao briefing realizado na noite de terça-feira (3) em Alphaville (SP) ou acompanhando à distância via internet – a página oficial do Sertões no Facebook transmitiu a apresentação ao vivo via video streaming – todos gostaram do roteiro que foi apresentado pelo diretor técnico da prova, Du Sachs.

“Este será o rali mais difícil de todos, embora garanta-se que seja também o mais bonito. Desta vez, não pude comparecer pessoalmente, mas graças à tecnologia, acompanhei da minha casa todas as informações divulgadas”, lembrou Guido Salvini, competidor da categoria Caminhões Pesados.

“Este rali renderá boas emoções. Como a maior parte do roteiro será arenoso, pneus e lubrificantes serão fatores decisivos. Uma boa estratégia também deverá ser aplicada, mas acredito que a paciência será um dos principais requisitos psicológicos para esta competição”, destacou o piloto e chefe de equipe, apontando também os pontos mais críticos da disputa que se inicia no dia 18 de agosto em São Luís (MA). “Na terceira etapa já teremos a primeira maratona, que apresentará diversos obstáculos difíceis e de alto nível técnico. Depois, entramos em outra maratona na sexta etapa, que terá 468 quilômetros de especial, com mais 277 no dia seguinte. Não vai ser fácil”, garante Salvini, que usa um caminhão Mercedes Atego.

Felipe Zanol é vice-campeão do Sertões nas duas edições em que participou entre as motos, em 2010 e 2011. O mineiro, que também se destacou no Dakar deste ano, fez algumas comparações, mas não espera nenhum tipo de facilidade nesta edição. “Vai ser bem duro. Houve bastante acréscimo de areia, com especiais extremamente desgastantes para o piloto e o equipamento. Apesar de não ter as mesmas distâncias, o Sertões ganhou ares de Dakar”, afirmou.

“Serão dois pontos bem críticos”, aponta Zanol. “A segunda maratona (sexta etapa) e a navegação por GPS, que neste ano será mais longa. O Dakar me ajudou neste tipo de navegação. Certamente estes dois desafios serão um divisor de águas na corrida e espero me sair bem. Com todas as informações passadas pela organização, agora eu tenho mais de 40 dias para acertar os últimos detalhes e já traçar algumas estratégias, principalmente para o uso dos pneus”, concluiu o mineiro, piloto da Honda.

Campeão de 2011 nos quadriciclos, o cearense Tom Rosa foi o quem mais comemorou o novo roteiro. “A areia é o forte do nosso estado. Para onde você vai, tem dunas ou solo arenoso. Vou intensificar meus treinamentos para defender o título nesta edição”, destacou Rosa, que mostrou seu respeito pela região do Jalapão: “Etapa maratona é sempre uma grande apreensão, principalmente quando isso acontece no Jalapão. É etapa onde o piloto tem que ter cabeça e se preocupar em chegar com a máquina inteira no final”, disse.

Na opinião de Tom Rosa, o pacote de novidades para a edição de 20 anos do Sertões só faz bem à competição. “Essa é a grande qualidade do Rally dos Sertões. De um ano para o outro as coisas mudam completamente. Vai ser muito desafiador pilotar com a navegação por GPS por exemplo, ainda mais se tratando de savana e duna. No caso do piloto se perder e perder algum waypoint, isso pode custar caro no final da competição”, conclui.

Pentacampeão do Sertões nos quadriciclos, Carlo Collet é mais um dos que trocaram o guidão pelo volante. O paulista é o mais novo adepto do UTV, veículo derivado do quadriciclo, mas equipado com gaiola protetora, bancos concha, cintos de segurança, volante e um lugar para o navegador. “O percurso é maravilhoso para os UTVs, já que o solo de areia é perfeito para este veículo”. “O Rally dos Sertões 2012 será muito duro e os pilotos devem saber poupar o equipamento nos momentos necessários. O Can-Am Commander 1000X é bastante resistente e vem praticamente pronto de fábrica para o desafio”, disse.

Entre os carros, o agora chefe de equipe Maurício Neves crê que o novo percurso deverá proporcionar ótimas disputas. “É um roteiro diferente, largando de São Luís. Isso deixou a prova mais concentrada no Nordeste. Isso traz algumas mudanças na parte de piso, e como o próprio Du Sachs falou, grande parte do trajeto vai ser em terrenos arenosos”, destacou o campeão do Sertões de 2007. “Quando saíamos de Goiânia, encontrávamos mais terra e piçarra. Ainda teremos estas características, mas em uma porcentagem menor. De qualquer forma, acho que teremos boas disputas pelo título”, observou o chefe da ProMacchina, campeã da categoria Etanol em 2011 com o piloto Klever Kolberg.

Engenheiro, navegador e bicampeão do Sertões na categoria carros ao lado do piloto Guilherme Spinelli, Yousseff Haddad destacou o prazer que o novo roteiro deverá proporcionar aos competidores. “A edição deste ano será mais prazerosa do que foi em 2011, quando tivemos um roteiro muito travado, técnico e com muitas quebradeiras. E pelo que vimos no briefing, este Sertões vai ser bem bacana de competir”, apontou. “As maratonas e a oitava etapa são os fatores que irão decidir os vencedores. Gostei muito do traçado para este ano”, finalizou o navegador, que mantém-se com o carioca no Mitsubishi Lancer.

Conferência – Nesta quarta-feira (4), o diretor técnico da Dunas Race, Du Sachs, viajou ao Maranhão para iniciar o trabalho de conferência de todo o roteiro. Ele irá passar por todos os trechos de especiais e fazer todos os deslocamentos que constam na planilha para checar alterações e necessidades de eventuais mudanças. O trabalho deverá durar dez dias.

AS ETAPAS:
PERCURSO TOTAL: 4.846 quilômetros
PERCURSO DE ESPECIAIS: 2.296 quilômetros (47,37% do total)

19/08: 1ª Etapa (Largada)
São Luís (MA) – Barreirinhas (MA)
Deslocamento Inicial: 134 km
Trecho de Especial: 176 km
Deslocamento Final: 55 km
TOTAL: 365 km.

20/08: 2ª Etapa
Barreirinhas (MA) – Bacabal (MA)
Deslocamento Inicial: 1 km
Trecho de Especial: 148 km
Deslocamento Final: 514 km
TOTAL: 514 km.

21/08: 3ª Etapa
Bacabal (MA) – Barra do Corda (MA) MARATONA
Deslocamento Inicial: 106 km
Trecho de Especial: 149 km
Deslocamento Final: 19 km
TOTAL: 274 km.

22/08: 4ª Etapa
Barra do Corda (MA) – Carolina (MA)
Deslocamento Inicial: 8 km
Trecho de Especial: 309 km
Deslocamento Final: 206 km
TOTAL: 523 km.

23/08: 5ª Etapa
Carolina (MA) – Palmas (TO)
Deslocamento Inicial: 3 km
Trecho de Especial: 188 km
Deslocamento Final: 281 km
TOTAL: 472 km.

24/08: 6ª Etapa
Palmas (TO) – Alto Parnaíba (MA) MARATONA
Deslocamento Inicial: 207 km
Trecho de Especial: 468 km
Deslocamento Final: 5 km
TOTAL: 680 km.

25/08: 7ª Etapa
Alto Parnaíba (MA) – Bom Jesus (PI)
Deslocamento Inicial: 35 km
Trecho de Especial: 277 km
Deslocamento Final: 55 km
TOTAL: 368 km.

26/08: 8ª Etapa
Bom Jesus (PI) – Petrolina (PE) “Especial dos 20 anos”
Deslocamento Inicial: 3 km
Trecho de Especial: 335 km
Deslocamento Final: 289 km
TOTAL: 627 km.

27/08: 9ª Etapa
Petrolina (PE) – Iguatu (CE)
Deslocamento Inicial: 62 km
Trecho de Especial: 143 km
Deslocamento Final: 355 km
TOTAL: 560 km.

28/08: 10ª Etapa (Chegada)
Iguatu (CE) – Fortaleza (CE)
Deslocamento Inicial: 184 km
Trecho de Especial: 103 km
Deslocamento Final: 170 km
TOTAL: 457 km.

Inscrições – As inscrições para a edição de 20 anos do Rally dos Sertões podem ser feitas até o dia 20/07 pelo site oficial do evento (www.sertoes.com). Mais informações na Secretaria de Prova, pelo telefone (11) 4191-0133.


Anterior:

Próxima:
Traduzir »