“Circuito de Londrina vai representar um desafio diferente”, aponta Raphael Reis. Piloto brasiliense fará sua primeira corrida na pista paranaense neste sábado, e espera recuperar os pontos perdidos com o abandono sofrido na etapa do Velopark

Depois de pouco mais de dois meses dedicados exclusivamente a treinos particulares realizados no Autódromo de Brasília, o piloto do Distrito Federal Raphael Reis voltará a acelerar neste fim de semana, em Londrina (PR), o Mini Cooper da primeira categoria de acesso à divisão principal da Stock Car.

A terceira etapa da temporada do Mini Challenge foi realizada no início do mês de maio, no Velopark (RS), e de lá para cá os pilotos da categoria se mantiveram na ativa apenas em treinos particulares – sempre com o objetivo de manter os reflexos em dia para a disputa da quarta rodada do calendário.

“Já faz tempo que não piloto um Mini Cooper, mas tenho treinado bastante em Brasília e espero mais um fim de semana positivo”, disse Reis, que iniciou carreira no kart e dá seus primeiros passos no automobilismo. “Com o auxílio de meu coach, Italo Carrareto, tenho procurado desenvolver as habilidades que mais preciso para ser rápido no carro desta categoria. E, nas primeiras etapas, temos conseguido atingir os objetivos propostos”, comentou o piloto.

Em seu ano de estreia no automobilismo, Reis tem se destacado pela rápida adaptação que demonstrou aos veículos de tração dianteira, principalmente depois de ter completado sua escola no automobilismo na modalidade kart.

Mesmo sem conhecer o circuito de Londrina, o brasiliense acredita que possa ser competitivo no fim de semana, e espera, naturalmente, atingir o máximo de seu desempenho na terceira corrida da rodada tripla.

“Como tem acontecido em todas as etapas deste meu ano de estreia no automobilismo, a cada treino a tendência é que eu me acostume mais com o carro e com a pista. Por isso, vou dar um passo de cada vez. Estou muito confiante e, acima de tudo, com imensa vontade de pilotar. Não vejo a hora de poder acelerar novamente e recomeçar o trabalho no carro”, acrescentou.

Por ter características bem diferentes das encontradas no circuito de Brasília, o autódromo de Londrina vai representar um desafio diferente para Raphael Reis. Mais curto e travado, o circuito paranaense reserva surpresas com as quais, ao menos na teoria, ele garante já ter aprendido a lidar.

“O circuito de Londrina vai representar um desafio diferente, mas estou preparado para ele”, disse Reis. “Junto do Italo Carrareto, peguei todas as dicas possíveis para esta pista, e embora eu tenha treinado bem mais em Brasília do que aqui, vou procurar desligar a chavinha para curvas de alta e grandes retas, e ligar a chave para as curvas cegas e retas mais estreitas. Londrina tem uma pista muito interessante e estou curioso”, finalizou o piloto.


Anterior:

Próxima: